Dedicado ao tema “O Fado e a Internacionalização”, o Festival de Fado Rio de Janeiro regressa ao Brasil com novos espectáculos, uma conferência, uma masterclass de guitarra portuguesa, filmes e uma exposição com o selo de qualidade do Museu de Fado de Lisboa.

Incluído na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO, 2011), o Fado foi capaz, ao longo de uma história aproximada de duzentos anos, de derrubar todas as fronteiras culturais e geográficas a que estava sujeito.

Conquistou definitivamente a poesia erudita portuguesa, tem presença assídua nas salas de espectáculo mais prestigiadas do Mundo e os seus artistas mais emblemáticos converteram-se em verdadeiros ícones das artes de espectáculo portuguesas.

Em pleno século XXI, o Fado adquiriu uma visibilidade crescente e uma presença marcante no conjunto da vida cultural portuguesa. Desde as suas origens no segundo quartel do século XIX, reuniu influencias poéticas, musicais, culturais e tecnológicas diversificadas, desenhando um percurso de consagração nas mais variadas áreas.

Internacionalizando-se na segunda metade do séc. XX, a sua notoriedade conferiu-lhe o protagonismo de imagem de marca, em plena afirmação no circuito internacional da world music.

O Festival de Fado realiza-se atualmente em onze cidades na Europa, África e América do Sul.

Em 2018 regressa ao Rio Janeiro nos dias 19 e 20 de Maio com duas das mais consagradas fadistas portuguesas, Raquel Tavares e Ana Moura na Cidade das Artes.